• Facebook
  • Instagram

Dirceu Leite

(flautas, flautin, sax tenor, alto, soprano, barítono e clarinete)

 

É sem dúvida um dos mais importantes instrumentistas de sopro em atividade no Brasil. Multi-instrumentista, domina com igual maestria desde o flautim até o clarone, passando por toda a família dos saxofones e vários tipos de flautas. Requisitado por nove entre dez estrelas da musica brasileira, grava e se apresenta constantemente com artistas como Carlos Lyra, Francis Hime, Zeca Pagodinho, Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Ney Matogrosso, Ana Costa, Beth Carvalho, Rita Lee e diversos outros. Recebeu o Diploma Ernesto Nazareth pelos relevantes serviços prestados ao Centenário do Choro, conferido pelo Instituto Cultural Ricardo Cravo Albin.  Tem participação nos DVDS Acústico MTV de Cássia Eller, Rita Lee, Jorge Benjor, Zeca Pagodinho 1 e 2 Gafieira, “Batuque” de Ney Matogrosso, “O futebol” de Chico Buarque, Beth Carvalho-A Madrinha do Samba,Fundo de Quintal 1,2 e3,Dudu Nobre,Razão Brasileira, Carlos Lyra, Beth Carvalho-O Dia Nacional do Samba,Diogo Nogueira e a caixa comemorativa de Rita Lee pela Biscoito Fino. De sólida formação erudita e popular, estudou com H. J. Koelreuter, J. T. Meirelles e Íon Muniz. Sobre Dirceu ainda podemos citar a participação em diversas trilhas de novelas e Mini-séries da Rede Globo tais como: A Muralha, JK, Amazônia,Um só Coração,Paraíso,Viver a vida, Cama de Gato,O Cravo e a Rosa, Direito de amar, Sabor da paixão, América, Sinhá Moça, Paraíso Tropical,Viver a Vida, O Sítio do Pica-Pau Amarelo e outras. No cinema tem participação na trilha e no filme sobre a vida de Noel Rosa e no premiado “Os Desafinados”, além do projeto “Pixinguinha Sinfônico”. No teatro tocou no espetáculo Sweet Charity com Cláudia Raia e integra o elenco do musical “Sassaricando E O Rio Inventou a Marchinha”. Com o grupo Coreto Urbano participou do Free Jazz em 1998. Novamente no Free Jazz em 2001, acompanhou o grupo americano Temptations. Participou da homenagem a Billy Blanco na Sala Cecília Meireles com a regência do maestro Gilson Peranzzetta. Com o maestro Mário Adnet fez trabalhos significativos como gravar ao lado de Randy Brecker e Billy Drews; fez parte da Orquestra Ouro Negro de Moacir Santos idealizado por Mário Adnet e recentemente integrou o “Projeto Jobim Jazz” na gravação do CD. Excursionou com nomes expressivos da MPB por cinco capitais brasileiras sob a regência do maestro Wagner Tiso.  Em 2009 atuou como arranjador de sopros nos trabalhos das cantoras Ana Costa no CD  “Novos Rumos” e Partimpim II de Adriana Calcanhoto. Acompanhado de mestres da música instrumental como Raphael Rabelo e Cristóvão Bastos, Dirceu lançou em 1995 seu primeiro CD, “LEITTE DE COCO” onde recria obras esquecidas de grandes compositores da música brasileira, além de composições próprias. Esse trabalho foi indicado para Prêmio Sharp como revelação instrumental em 1996. Em 2009 lançou “CACIQUE INSTRUMENTAL” que faz uma justa homenagem aos grandes compositores do “Cacique de Ramos” bloco carioca que revolucionou o samba ao incluir o tan tan,repique de mão e o banjo no samba. Um celeiro de grandes artistas. Contou com a participação de Hamilton de Holanda, Rildo Hora, Victtor Santos, Chico Chagas e Carlos Malta.  De 2000 até o presente, se apresenta e grava com as bandas de Chico Buarque, Caetano Veloso, Roberto Carlos, Carlos Lyra, Milton Nascimento, Jorge Benjor, Ney Matogrosso, entre outros.

 

Um pouco mais sobre Dirceu Leite, visite: www.myspace.com/dirceuleite