Elenco

(ordem alfabética) :

Academia do Choro (São Carlos)

É um coletivo cultural de São Carlos (SP) formado por jovens músicos e realiza, desde 2011, diversas ações relacionadas ao choro, como rodas, apresentações, participações em festivais e homenagens a artistas consagrados. O grupo se destaca no cenário musical São-Carlense por priorizar um repertório diferenciado, interpretando composições autorais, choros contemporâneos e clássicos com arranjos ousados. Ao longo da sua trajetória o grupo participou de importantes festivais e se apresentou em palcos renomados da cena musical. Seguem algumas das principais apresentações do grupo: 

2012 • 9° Festival Chorando Sem Parar leia mais

Alessandro Penezzi (SP)

Violonista, compositor e arranjador, Alessandro Penezzi também toca violão de 7 cordas , violão tenor, cavaquinho, bandolim e flauta. Nascido em Piracicaba, interior de São Paulo, iniciou os estudos de violão aos 7 anos. Formado em violão erudito pela Escola de Música de Piracicaba - sob a orientação do Maestro Ernst Mahle e do professor Sérgio Belluco, que lhe apresentou o Choro. É bacharel em Música Popular pela Unicamp com especialização em Processos Criativos pela Faculdade Souza Lima. Integrou o Regional de Carlos Poyares, Trio Quintessência e Grupo Choro Rasgado. Em trio, atuou com Yamandú Costa e Rogério Caetano, e Sizão Machado e Alex Buck.  leia mais

Alexandre Ribeiro (SP)

Herdeiro de grandes nomes do clarinete como Severino Araújo, K-Ximbinho, Luiz Americano, Abel Ferreira, Nailor Azevedo e Paulo Moura, Alexandre Ribeiro é dono de exuberante técnica e primorosa interpretação, hipnotizando seus ouvintes logo nas primeiras notas.  Nascido na cidade de São Simão, interior do estado de São Paulo, foi discípulo e teve grande influência de clarinetistas como Krista Helfenberger Munhoz, Luiz Afonso Montanha, Sergio Burgani, Nailor Proveta e Stanley Carvalho.Em sua trajetória, compartilhou o palco com grandes artistas como Guinga, Quinteto Sujeito a Guincho, Antônio Nóbrega, Carlos Malta   leia mais

Anat Cohen (USA)

 

         A clarinetista e saxofonista Anat Cohen ganhou corações pelo mundo inteiro com sua virtuosa expressividade e deliciosa presença de palco. Foi eleita a Clarinetista do Ano por treze anos consecutivos pela Jazz Journalists Association, o mesmo acontecendo, desde 2011, tanto na eleição dos críticos quanto na dos leitores da revista DownBeat. Viajou pelo mundo como atração principal em festivais como o de Newport, Umbria Jazz, SF Jazz e o North Sea, além de ser presença frequente nas principais casas de Jazz e salas de concerto do mundo. Em seus shows pode-se observar sua fluência entre o estilo crioulo de Nova Orleans, ritmos africanos, o samba e o choro, leia mais

Antônio de Pádua (PB)

 

Bacharel em trompete pela UFPB, professor de trompete e cavaquinho do Instituto de Música Waldemar de Almeida-RN. Foi integrante da Orquestra Metalúrgica Filipéia com a qual participou do Festival de Música de Belfort-França 2002, entre outros festivais regionais. De 2009 a 2015 foi o maestro e arranjador da Banda Independente da Ribeira, orquestra tradicional de frevo de Natal-RN. Dirigiu o Prêmio do Jornal Diário de Natal, nos anos de 2006 e 2007.Em 2004 gravou seu primeiro Cd Solo instrumental intitulado de Sentimento Nordestino, e em 2008 o seu 2º Cd intitulado “Um olho no peixe, o outro no gato”. Em 2009 gravou seu 1º DVD.  leia mais

Aquiles Moraes (RJ)

Aquiles Moraes Trompetista - iniciou seus estudos em 1998 na banda Sociedade Musical Fraternidade Cordeirenseaos 8 anos de idade. É integrante do grupo Os Matutos, com o qual gravou 2 discos, um lançado em 2005 e o outro em 2020. Participou do documentário e do show homônimo Brasileirinho, ao lado de Zé da Velha e Silvério Pontes, Guinga, Joel Nascimento, Yamandu Costa dentre outros. É integrante da orquestra Furiosa Portátil, da Escola Portátil de Música, com a qual fez diversas apresentações desde 2005. Gravou e se apresentou com diversos artistas como Mauricio Carrilho, Nailor Proveta, Eduardo Neves, Maria Bethânia, Chico Buarque, Zeca Pagodinho, leia mais

Araçá Quarteto (MG)

O Araçá Quarteto, grupo de música instrumental brasileira, com raízes no Choro, nascido e criado em 2016, em Poços de Caldas, Minas Gerais. É formado pelos músicos Jorge Viviani, Otávio Quartier, Leo Brasileiro e Flávio Danza e contam com a produção de Bibi Rodriguez. O grupo esteve em turnê em Buenos Aires, Argentina e na programação de eventos como: 15º e 16º  Festival Chorandosemprar (São Carlos/SP), no Minas ao Luar (do Sesc Minas Gerais), na BIA – 10º Brasil Instrumental Andradas e na abertura oficial do Festival Música nas Montanhas 2019.  Em 2020 foi contemplado no edital leia mais

Armandinho Macêdo (BA)

Com mais de 50 anos de carreira o guitarrista, bandolinista, compositor e arranjador Armandinho, nascido na capital baiana, é conhecido a partir dos carnavais de Salvador. Filho de Osmar, criador do Trio Elétrico de Dodô e Osmar, começou a carreira bem cedo, com apenas 10 anos, em cima do Trio Elétrico. Desde então, muita coisa aconteceu. Foi ovacionado no Teatro Municipal no programa A Grande Chance, tocou para Jacob do Bandolim, conheceu João Gilberto, criou a guitarra baiana, formou o grupo A Cor do Som, foi diversas vezes premiado e apresentou-se em festivais famosos e importantes como o de Montreux, na Suíça.  leia mais

Big Band do Projeto Guri (São Carlos)

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Mais de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o Estado de São Paulo. Os quase 340 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, leia mais

Big Boom Orchestra (São Carlos)

A Big Boom Orchestra (BBO) é uma Jazz band (ou Big band) com formação tradicional que atua na cidade de São Carlos. Em janeiro de 2017 a BBO fez a sua estreia, o local foi o Espaço Sete na cidade de São Carlos e teve o apoio do projeto Contribuinte da Cultura, que organizou a divulgação. Neste primeiro show o grupo já obteve um resultado de público acima do esperado, com o local completamente cheio e pessoas em pé que fizeram questão de assistir mesmo sem assentos para se acomodarem, demonstrando assim o quanto a demanda por uma big band era esperada pela comunidade de São Carlos. Atualmente, a BBO, é um grupo musical já consolidado, leia mais

Caio Márcio (RJ)

Caio Márcio Santos é bacharel em violão clássico e em composição erudita pelo Conservatório Brasileiro de Música. Pós-graduado em teoria e prática da interpretação na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) (2015 a 2017) apresentando a dissertação: “Improvisação Jazzística: o uso de scripts como ferramenta de estudo”. Participou de cursos complementares ligados à improvisação com Hélio Delmiro, Lula Galvão, Genil Castro e Nelson Faria e à composição com Antonio Guerreiro de Faria, Pauxy Gentil-Nunes, Tim Rescala, Alexandre de Faria, David Tygel e Alexandre Negreiros.

Caio já dividiu palco com nomes nacionais leia mais

Carlos Escames Trio (São Carlos)

Os integrantes do grupo trabalham como músicos profissionais e participaram de festivais, casamentos, eventos e bares. Atuam como professores na cidade de São Carlos e se reúnem semanalmente para estudar e praticar choro e outros estilos musicais. O violonista Rafael Santos é graduado em pedagogia na UNESP Araraquara, é mestre em educação pela UFSCar e atua como músico independente. O Saxofonista Carlos Escames é músico da cidade, participou por anos do Projeto Guri e do GR big band, é 1º tenor da Big Boom Orchestra e atua como professor de música na ELM maestro João Sepe,  leia mais

Celsinho Silva (RJ)

Iniciei minha carreira em 1976, no Conjunto de Choro “Os Carioquinhas”, e, após 2 anos, fundei e passei a integrar, até os dias atuais, o Grupo “Nó Em Pingo D’Água”, que venceu duas vezes o ‘Concurso de Choros/RJ e gravou seis CDs. Fiz parte da primeira formação da “Camerata Carioca”, em 1979, ao lado de Radamés Gnattali e Joel Nascimento, que gravou o histórico disco “Retratos”, em um Tributo a Jacob do Bandolim. Trabalho com Paulinho da Viola desde 1980, convidado por ele, participando de gravações, shows e do filme documentário “Meu Tempo é Hoje" e do DVD “Acústico - Paulinho da Viola”. Sou Fundador e professor de Pandeiro, leia mais

Chorolê Ensanble (Israel)

É um grupo formado por 4 músicos que dividem uma mesma paixão. São israelenses e brasileiros que, em Israel, se encontraram atraídos pela sonoridade cativante do Chorinho.
Com um intenso trabalho de arranjo, o grupo desenvolve desde 2009 seu próprio som a partir da base tradicional do Choro, adicionando um toque de música israelense e uma pitada do Oriente Médio. Desde então o já realizou 3 turnês pelo Brasil, passando pelas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasilia, Salvador, Campinas, Santos e São Carlos apresentando-se em palcos e festivais de prestígio como o Clube do Choro de Brasília,. 
leia mais

Cliff Korman (EUA)

Cliff Korman é pianista, compositor, pesquisador e professor. Estudou em Nova Iorque, sua cidade natal, com os mestres do jazz Roland Hanna, Barry Harris, Ron Carter, Kenny Barron e David Liebman.Na carreira artística constam apresentações com Toninho Horta, Milton Nascimento, Leny Andrade, Astrud Gilberto, Arthur Kampela e Henrique Cazes, além de performances à quatro mãos com os pianistas Wagner Tiso, Gilson Peranzzetta, e Cristovão Bastos. Entre as gravações autorais constam Mood Ingênuo: Pixinguinha Meets Duke Ellington e Gafieira Dance Brasil  com o parceiro de muitos anos Paulo Moura; Migrations, inspirado pela fotografia do Sebastião Salgado; leia mais

Cristovão Bastos (RJ)

Cristovão Bastos (Cristovão da Silva Bastos Filho), nascido no bairro de Marechal Hermes, na cidade do Rio de Janeiro, em 3 de dezembro de 1946, é compositor, arranjador, pianista, acordeonista e produtor musical. Estudou teoria musical e acordeom desde cedo, formando-se aos 13 anos, quando iniciou sua carreira, tocando em bailes com a banda de “Creso Augusto”. Sua estréia como pianista foi aos 17 anos, numa boate em Cascadura, subúrbio do Rio de Janeiro.  Foi um dos fundadores da Banda Black Rio, participando de sua primeira formação e do primeiro disco “Maria Fumaça” em 1976 leia mais

Dininho Silva (RJ)

Nasci e me criei no Rio de Janeiro ouvindo música desde cedo, pois meu pai, o violonista Dino 7 Cordas me levava desde cedo a shows em praça pública, em gravações em estúdios e em programas de música na rádio Mayrink Veiga, locais onde me habituei a assistir e ouvir músicos como Jacob do Bandolim, Orlando Silveira, Altamiro Carrilho, Canhoto, Meira e logicamente, meu pai. Aos 14 anos de idade, quando comecei a prestar atenção ao som do contrabaixo, ocorreu minha primeira incursão ao mundo das notas graves. Então, aos 16 anos, ganhei meu primeiro instrumento, e um mês depois já fazia bailes em clubes. Aos 18 anos, tirei carteira profissional de músico, leia mais

Dirceu Leite (RJ)

É sem dúvida um dos mais importantes instrumentistas de sopro em atividade no Brasil. Multi-instrumentista, domina com igual maestria desde o flautim até o clarone, passando por toda a família dos saxofones e vários tipos de flautas. Requisitado por nove entre dez estrelas da musica brasileira, grava e se apresenta constantemente com artistas como Carlos Lyra, Francis Hime, Zeca Pagodinho, Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Ney Matogrosso, Ana Costa, Beth Carvalho, Rita Lee e diversos outros.Recebeu o Diploma Ernesto Nazareth pelos relevantes serviços prestados ao Centenário do Choro, conferido pelo Instituto Cultural Ricardo Cravo Albin. leia mais

Duo Bem Casado (França)

Formado pelo violonista e cavaquinista RAFAEL MEIRA e pela flautista MABEL ZATERA. Ambos são formados pelo Conservatório de Tatuí e desde 2018  residem na França especializando-se em seus instrumentos, trabalhando como músicos e difundindo o Choro e a música instrumental brasileira. Atualmente Mabel se especializa em flauta transversal no Conservatório de Toulon na França onde também desenvolve um trabalho sobre música litúrgica. Rafael, formado em cavaquinho trabalha com arranjos, gravações para música litúrgica e produção musical. É também compositor de Samba, Choros e canções Com o projeto "Domine o Cavaquinho"  leia mais

Everson Moraes (RJ)

Nascido em Cordeiro-RJ, iniciou seus estudos na Sociedade Musical Fraternidade Cordeirense. Bacharel em trombone pela UniRio, trabalha com importantes artistas da música popular brasileira, tais como: Ney Matogrosso, Bibi Ferreira, Maria Bethânia, João Bosco, Mário Adnet, Nailor Proveta, Zé Renato, Maurício Carrilho, Cristovão Bastos, dentre outros. Já ministrou vários cursos pelo país, como por exemplo: Painel Funarte de Música Popular, Oficina de Música de Curitiba, III e IV Festival Internacional de Trombones da UniRio, I Festival Internacional de Metais da UniRio, I e II Seminário Internacional de Performance e Pesquisa em Instrumentos de Metais e I Festival leia mais

Gabriel Selvage (RS)

Músico gaúcho com mais 15 anos de carreira, 5 discos, 2 DVDs e um songbook lançados, Gabriel Selvage traz o som laCno-americano da sua terra mesclado com as mais diversas expressões folclóricas do mundo.  Já levou sua música para vários países como: ArgenCna, Uruguai, Paraguai, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Luxemburgo, Holanda, Alemanha e China. Vencedor na categoria melhor intérprete instrumenCstal no Prêmio Açorianos de Música 2018.  Já esteve ao lado de grandes arCstas, nomes como: Yamandu Costa, Arismar do Espírito Santo, Alessandro Penezzi, Rogerio Caetano, Guto Wir^, Bebe Kramer, Lucio Yanel, Arthur Bonilla leia mais

Gian Corrêa (SP)

 

É violonista 7 cordas, compositor, arranjador e produtor musical e responsável jurídico da Usina Telecoteco, desde 2013 ele e a empresa produziram inúmeros projetos musicais. Seu primeiro trabalho autoral, Mistura 7 (YB Music/2013) foi lançado no palco do Auditório Ibirapuera e recebeu elogios de críticos em diversos meios de comunicação, dentre eles: site G1 por Hermano Vianna, Revista Carta Capital por Tárik de Souza, Jornal Folha de São Paulo por Carlos Bozzo Júnior, Jornal Zero Hora por Carlos Calado, Revista Guitar Player por Fábio Carrilho. Em 2016, lançou seu segundo álbum, Remistura 7 (YB Music), gravado em CD/DVD, no Estúdio 185 Apodi, no SESC Pompeia. leia mais

Guinga (RJ)

OS MAIS BELOS ACORDES DO SUBÚRBIO - Carlos Althier de Souza Lemos Escobar), é carioca da zona norte do Rio de Janeiro – o bairro de Madureira –, onde nasceu em 1950. Foi por cinco anos aluno de violão clássico de Jodacil Damasceno. Começou a compor aos 16 anos. Trabalhou profissionalmente como violonista, acompanhando artistas como Clara Nunes, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Cartola e João Nogueira. Teve inúmeras de suas músicas gravadas por músicos como Elis Regina, Michel Legrand, Sérgio Mendes, Leila Pinheiro, Chico Buarque, Clara Nunes, Ivan Lins e tantos outros. Suas composições são parcerias com Paulo César Pinheiro, leia mais

Gustavo Costa (SP)

Bacharel em música sob a orientação de Gisela Nogueira pelo Instituto de Artes da UNESP em 1997, Gustavo Costa teve ainda em São Paulo aulas com o violonista escocês Paul Galbraith. Seguiu seus estudos de violão nas classes de Franz Halász na Alemanha (Hochchule für Musik Nürnberg-Augsburg: 1998-2001) e de Pablo Márquez na França (Conservatoire National de Région – Strasbourg: 2001-2003). De volta ao Brasil em 2004, se aprofundou no processo de transcrição de obras para violino de Béla bartók e J. S. Bach, obtendo o Mestrado e o Doutorado em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Foi premiado em concursos de, leia mais

Hamilton de Holanda (RJ)

 

Virtuoso, brilhante e único são alguns dos adjetivos para descrever este improvisador e compositor multipremiado que inspira audiências em todo o mundo. Hamilton de Holanda nasceu em 30 de março de 1976 em uma família musical. Seu primeiro instrumento, aos quatro anos de idade, foi a Melódica. Dois anos depois (1982), começou sua carreira profissional, aos seis anos de idade, como um prodígio do bandolim em um programa de TV nacional (Fantástico)  com uma audiência de milhões de pessoas. Hoje, como compositor, improvisador, líder de banda, a música deste educador transcende os gêneros e encanta o público.  leia mais

Henrique Araújo (SP)

 

Representa atualmente importante referência do cavaquinho e do bandolim no cenário musical do Brasil. Concluiu os cursos de bandolim e cavaquinho na ULM-SP, em 2008, atual Emesp Tom Jobim. Estudou composição e regência na faculdade FAAM e harmonia com o professor Claudio Leal, em 2013. Atua há mais de quinze anos no cenário musical brasileiro, integrando diversos grupos importantes e acompanhando nomes de destaque, como Nelson Sargento, Izaías Bueno de Almeida, Renato Teixeira e Zeca Baleiro, entre tantos outros.Se apresentou em festivais internacionais de renome como Brahma Festival Moscow (2006),Brazilian Festival Concertgerbouw.  leia mais

Henrique Neto (DF)

O violonista Henrique Neto é representante da nova geração de artistas que vêm delineando e inovando os rumos da música instrumental brasileira. O interesse pela música veio de dentro de casa, por meio de seu pai, Reco do Bandolim, que lhe ensinou os primeiros acordes. Em seu trabalho, Henrique busca a valorização da música de seu país através de arranjos e composições marcados principalmente pelo choro e pelo samba, mas sempre mantendo um diálogo enriquecedor com o jazz e a música de concerto. Ao longo de sua carreira como músico contratado do Clube do Choro de Brasília, reuniu uma vasta experiência dividindo o palco com artistas  leia mais

Howard Alden (EUA)


"Ele pode ser o melhor de sua geração", escreve Owen Cordle no JazzTimes. George Kanzler do Newark Star Ledger proclama que ele é "o membro mais impressionante e criativo de uma nova geração de guitarristas de jazz". E Chip Deffaa do New York Post observou que ele é "... um dos melhores jovens guitarristas trabalhando hoje." Parece que a única coisa sobre Howard Alden que os críticos têm debate é se o notável guitarrista de jazz é um dos melhores ou simplesmente o melhor. Nascido em Newport Beach, Califórnia, em 1958, Howard começou a tocar aos dez anos, inspirado em gravações de Armstrong, Basie e Goodman, além dos guitarristas Barney Kessel, leia mais

João Camarero (SP)

Nascido em 1990 em Ribeirão Preto, São Paulo, João Camarero foi criado na cidade de Avaré, no mesmo estado, onde iniciou seus estudos na música aos oito anos e no violão, de forma sistemática (pois sempre tocou de forma autodidata) aos quinze. Estudou no Conservatório de Tatuí e na Escola Portátil de Música do Rio de Janeiro, onde hoje atua como professor e monitor.Com destacada atuação como solista, foi vencedor do Prêmio MIMO Instrumental 2015 e do Concurso Novas – 3; apresentou-se em importantes salas por diversos países como EUA, Japão, Coreia do Sul, França, Alemanha, Itália, Holanda, Inglaterra, leia mais

Leonardo Freitas (SP)

 

Pianista, arranjador, produtor e educador musical, é natural da cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Leonardo Freitas graduou-se em 2010 no curso de Licenciatura em Música pela UFSCar – Universidade Federal de São Carlos e em 2012 terminou o curso de piano popular na EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo. Estudou com Chick Corea, Trio Corrente, Lis de Carvalho, Conrado Paulino, Sizão Machado, Cristóvão Bastos, entre outros. Participou de cursos com Nailor Proveta, Maurício Carrilho, André Marques, e apresentou-se ao lado de Verônica Ferriani, Carrapicho Rangel, Isaías Buenos de Almeida, Oscar Bolão, Pedro Amorim e Dirceu Leite.  leia mais

Lucas Telles (MG)

 

Lucas Telles é bacharel em música com habilitação em violão e mestre em música - práticas analíticas e criativas, pela UFMG. Foi professor de violão, harmonia e contraponto na Universidade Federal de Ouro Preto, onde também coordenou na Orquestra de Violões da UFOP. Foi vencedor do XIII Prêmio BDMG Instrumental em 2013, um dos vencedores da edição 2016 do projeto “Novas 3” de composição para violão e 3º lugar no primeiro concurso de composição do “I Festival Choro Novo” em 2012. Trabalhou como violonista, arranjador ou diretor musical com músicos como: Marku Ribas, Waldir Silva, Serginho Beagá, Ricardo Koctus, Túlio Araújo, Guanduo, Alexandre Rezende,  leia mais

Lucas Nobile (SP)

Lucas Nobile é jornalista e autor de "Dona Ivone Lara: A Primeira-Dama do Samba" (2015/ Sonora Editora) e de "Raphael Rabello: o violão em erupção" (2018/ Editora 34). Idealizador e pesquisador do documentário "Garoto - Vivo Sonhando" ("Menção Especial de Pesquisa" pelo júri do festival In-Edit Brasil 2020). É idealizador e curador da série "Muito Prazer, Meu Primeiro Disco" (Sesc, 2020/2021). leia mais

Luciana Rabello (RJ)

Luciana Rabello é precursora do Choro contemporâneo. A cavaquinhista, nascida em Petrópolis (RJ), é irmã do homenageado em memória, o violonista Raphael Rabello. Dedica-se ao cavaquinho desde os 14 anos, mesma idade com que ajudou a formar o grupo de choro Os Carioquinhas no Choro. Gravaram o primeiro e único disco em 1977, iniciando oficialmente sua vida profissional. Também fez parte da Camerata Carioca e participou de centenas de gravações e shows de diversos artistas no Brasil e no exterior. Em 2000, em parceria com o violonista Maurício Carrilho, nosso convidado homenageado, criou a Acari Records. leia mais

Luciano Tanure (MG)

 

Natural de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, o violonista Luciano Tanure,  filho e neto de músicos, iniciou sua trajetória  ouvindo choro, bossa nova, rock e jazz. Foi aluno da renomada Fundação de Educação Artística de Minas Gerais, do Centro de Formação Artística do Palácio das Artes e da Fundação de Arte de Betim.  A forma de tocar do Tanure, é inspirada nas folias de violas da sua terra, unindo o virtuose com o tradicional. leia mais

Luizinho Sete Cordas (SP)

Luiz Araújo Amorim, 72 anos, é considerado por todo Brasil e no exterior um dos maiores instrumentistas de choro e de samba. Nasceu em Marília, interior de São Paulo, e logo transferiu-se para Santos. Aos seis anos de idade, aprendeu a tocar violão com o pai e, logo depois, acompanhava o bandolinista Jacozinho. Aos vinte anos fazia parte do conjunto regional do Dadinho, mais tarde também integrou o conjunto Primas e Bordões, de Walter Caetano. Em 1977, participa do Primeiro Festival Nacional do Choro, promovido pela TV Bandeirantes, com transmissão nacional, e conquista o Prêmio Revelação, recebendo-o das mãos

do já consagrado Dino 7 Cordas, “pai” do violão de   leia mais

Marcello Gonçalves (RJ)

 

Nascido e criado no Rio de Janeiro, é integrante do Trio Madeira Brasil e tem duo com a clarinetista Anat Cohen, com quem gravou o álbum Outra Coisa, dedicado à música de Moacir Santos, nomeado ao Grammy 2018. Atuou como violonista de 7 cordas, diretor musical, arranjador e/ou produtor com os artistas: João Bosco, Ney Matogrosso, Roberta Sá e Chico Buarque. Suas gravações com o cavaquinista Henrique Cazes exploram os legados de Pixinguinha e Garoto e seu trabalho com o grupo Rabo de Lagartixa lança luz sobre a música de Heitor Villa-Lobos. Marcello assina a produção musical e a direção artística do CD YV, de Yamandu Costa e Valter Silva. leia mais

Marcílio Lopes (RJ)

 

MARCÍLIO MARQUES LOPES Bandolinista. Bacharel em Composição e Doutor em Musicologia pela UNIRIO: A tese de doutorado trata influência da música cantada na consolidação do estilo musical de Jacob do Bandolim. Integrante de diversas formações instrumentais como o grupo Água de Moringa - com seis CDs lançados - e ainda o quarteto Bandolinata, a Caldereta Carioca e em duo com o violonista Carlos Barbosa-Lima. Possui grande experiência em estúdio em gravações de grandes nomes da MPB: Zeca Pagodinho, Fundo de Quintal, Nana Caymmi, Martinho da Vila, entre outros. Possui arranjos gravados, além do Água de Moringa, pela Camerata Gama Filho,  leia mais

Márcio Marinho (DF)

Nascido em Brasília em novembro de 1984, Márcio Marinho começou a ter aulas de cavaquinho aos 13 anos. Com raro talento musical, em 1999, aos 15 anos ,começou a atuar como solista do grupo “Os Novos Chorões”. A partir de 2001 foi chamado para compor outro grupo de choro o “Sorrindo à Toa” sob o comando de Reco do Bandolim, um marco na carreira do artista foi uma apresentação para o então presidente Fernando Henrique Cardoso. Com o Trio ́Cai Dentro”, um passo importante foi dado à partir de um convite de Hermeto Pascoal para que participasse de um show com ele no Clube do Choro de Brasília em 2003. leia mais

Marco Pereira (SP)


Violonista, compositor e arranjador é natural de São Paulo onde fez seus estudos de violão sob a orientação do mestre uruguaio Isaias Sávio no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.

Viveu na França por cinco anos e recebeu o título de Mestre em Violão Clássico pela Université Musicale Internationale de Paris. Defendeu tese sobre a música de Heitor Villa-Lobos no Departamento de Musicologia da Universidade de Paris-Sorbonne o que resultou no seu livro Heitor Villa-Lobos, sua obra para violão. Na Espanha, obteve dois prêmios em importantes concursos internacionais: Concurso Andrés Segóvia (Palma de Mallorca) e Concurso Francisco Tárrega (Valência).  leia mais

MÁRIO MANGA

Mário Augusto Aydar , conhecido pelo seu talento e bom humor incomparáveis, precisará sempre de multi definições para ser apresentado. Sua diversificada carreira como guitarrista,multi instrumentista, compositor, arranjador e produtor,  está ligada à do grupo Premeditando o Breque (Premê),  conhecido tanto pelas letras irreverentes quanto pela qualidade dos arranjos e das interpretações de diferentes estilos - do  rock, MPB, Choro até a música erudita. Também foi o fundador do trio “Música Ligeira” ao lado do saudoso Rodrigo Rodrigues, gaitista e cantor e do violista Fábio Tagliaferri. Mário Manga produziu Ivan Lins, Rita Ribeiro, Ná Ozzetti, Chico Cesar, entre outros.  leia mais

Maurício Carrilho (RJ) - Músico homenageado

Desde sua estréia profissional em 1977, no disco Os Carioquinhas no Choro, do grupo Os Carioquinhas, Mauricio Carrilho vem se dedicando à preservação e desenvolvimento da música brasileira. Sua atuação como violonista (de 6 e 7 cordas) e arranjador é há muito conhecida do público, graças a seus numerosos trabalhos ao lado de ícones como Elizeth Cardoso, Chico Buarque, Francis Hime, Paulo Cesar Pinheiro e tantos outros. Além disso, é intensa sua atuação em grupos instrumentais como a Camerata Carioca, nos anos 70, que teve como mentor ninguém menos que Radamés Gnattali, O Trio, pequena usina de grandes sons que montou , leia mais

Michèle Drees (EUA)

Michèle Drees, residente em Londres, é baterista, percussionista, vocalista, guitarrista e compositora latina e atua na cena musical há mais de 30 anos. Durante esse período, Michèle tocou com os melhores artistas de uma ampla variedade de gêneros, incluindo Marc Almond, Kirsty MacColl, Seal, Badmarsh e Shri, Ive Mendes, KD Lang, Susanne Vega, Candy Dulfer, Ian Shaw, para citar apenas alguns. Apresentando-se em muitos dos grandes palcos, Royal Albert Hall, The Barbican, Ronnie Scott's e vários festivais de jazz em todo o mundo, incluindo Montreux. O amor de Michèle pelo sapateado começou quando era criança. leia mais

Nailor Proveta (SP)

Complete superior - bacharel em Saxofone - faculdade de Mosarteum música em 1992. CURSOS DE MÚSICA Conhecimentos Teóricos e Solfejo Musical - Professor Hary Bacciotti - Instrumento prático e apreciação musical - Geraldo Azevedo Conservatório Carlos Gomes - Campinas de 1977 - curso de Clarinete e Teoria Musical Curso - Orquestração, harmonia avançada e instrumentação - Professor Claudio Leal 

Trabalhos da dupla: Laércio de Freitas,Guinga, Arismar,Maurício Carrilho. Participação especial: Festival em Fukuoka - Japão em 1996 - Blue Note - com a cantora e compositora Joyce, Festival de Jazz brasileiro - Tokio -  leia mais

Nicolas Krassik (França)

Nascido em 1969 na periferia de Paris, o violinista Nicolas Krassik é um dos herdeiros da famosa tradição francesa de violinistas de Jazz. Após 15 anos estudando música erudita e jazz, e oito anos atuando na Europa ao lado de músicos como Michel Pettrucciani, Didier Lockwood, Vincent Courtois e Pierrick Hardy, Nicolas resolveu embarcar para o Rio de Janeiro, em 2001, e se dedicar à música popular brasileira. Virtuoso e criativo, o violinista rapidamente chamou a atenção da mídia, ganhou a confiança dos músicos e a admiração do público e se tornou uma referência em matéria de violino na MPB.Sem dúvida, conquistou o seu lugar no cenário musical , leia mais

Orquestra Experimental da UFSCar (São Carlos)

A Orquestra Experimental da UFSCar é uma orquestra comunitária que se dedica ao estudo, pesquisa e desenvolvimento de um repertório musical e da prática instrumental em conjunto, voltados especialmente, mas não exclusivamente, para a cultura brasileira. O grupo aglutina músicos das mais diferentes idades (desde 10 até 70 anos) oriundos de todos os segmentos da sociedade de São Carlos e cidades da região, além de alunos da graduação, pós-graduação, funcionários e professores da UFSCar. Além da prática musical, a orquestra é um laboratório vivo para os alunos da graduação em Licenciatura em Música e da pós-graduação leia mais

Paulo Sergio Santos (RJ)


Minha aproximação com a música começou aos 4 anos de idade, quando peguei uma harmônica (gaita) de meu pai e tirei alguns hinos da igreja em Madureira, na qual fui criado. Continuei tocando intuitivamente sem nenhum estudo formal nos anos subsequentes. Aos 11 anos de idade eu resolvi estudar com o maestro da banda da Igreja que se chamava Moisés Gomes. Estudei um ano e meio de solfejo e materias teóricas e então ele me deu uma clarineta de 13 chaves para que eu tocasse na banda de música da igreja.Na banda, eu conheci um senhor que se chamava Luíz e que era o operador de som da igreja e que tocava clarineta.   leia mais

Pedro Paes (RJ)

“Dentre os compositores da nova geração, talvez nenhum tenha criado em tão pouco tempo uma assinatura sonora tão pessoal quanto Pedro Paes.” - Paulo Aragão 

Clarinetista, saxofonista, arranjador e compositor - Participou de diversos shows e gravações de artistas brasileiros como Bibi Ferreira, Lenine, Monica Salmaso, Miúcha, Renato Braz, Áurea Martins, Cristóvão Bastos, Déo Rian, Mário Adnet, Toninho Carrasqueira, Álvaro e Maurício Carrilho, entre outros. Como arranjador, escreveu para diversas formações como o Sexteto Maurício Carrilho, Orquestra Rancho Carnavalesco Flor do Sereno, Bandão da Escola Portátil de Música,  leia mais

Quarteto Brazullê (São Carlos)

O grupo é formado por músicos e alunos da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), que se uniram com a finalidade de estudar e praticar música em conjunto. Cada um trouxe sua vivência e experiência musical, e o resultado foi super agradável para todos, e com apenas 4 meses de existência, o quarteto participou e ficou entre os finalistas do festival "Imagine Brazil 2019", e no mesmo ano teve o prazer de participar do 16º ChorandoSemParar, edição Luiz Gonzaga. O repertório trabalhado é eclético, explorando vários estilos musicais, como choro, bossa, forró, samba, jazz e músicas autorais. Os arranjos são feitos pelos próprios,  leia mais

Ricardo Borsatto (SP)

 

A música sempre esteve presente na minha infância em São Paulo, Brasil. Meu avô tocava bandolim e percussão, e ele me mostrou a música de grandes compositores como Pixinguinha e Jacob do Bandolim quando eu era criança. Ele sempre me dizia: ‘esta é a verdadeira música, feita com a mistura perfeita de intelecto e alma, onde a técnica sempre esteve a serviço do nosso coração’. Em todas as reuniões de família, todos tocavam um instrumento musical e tocavam Sambas populares, principalmente de Adoniran Barbosa. Foi nessa época que me apaixonei pelo violão brasileiro. Tive a sorte de estar perto de grandes músicos, que me abriram caminho, leia mais

 

Roberta  Valente (SP)

Referência nacional como produtora, pandeirista e pesquisadora de samba e choro, Roberta atua como pandeirista em importantes grupos de choro como Panorama do Choro, Bola Preta, Choro Rasgado, Chorando as Pitangas e grupo Ó do Borogodó, sendo considerada uma especialista no gênero. 

Formada em Letras pela Puc/SP, como pesquisadora e redatora participou da concepção do livro Antologia Musical Popular Brasileira-As marchinhas de carnaval e, como pesquisadora, redatora e percussionista participou, como integrante do Bando da Rua, da série de shows Cantando e contando, projeto que tem por finalidade divulgar a vida e a obra de  leia mais

 

Rogério Caetano (GO)

Rogério Caetano (Goiânia, 26 de Setembro de 1977) é um músico, violonista, arranjador, produtor musical e compositor brasileiro. Bacharel em Composição pela Universidade de Brasília, é um premiado virtuose e referência do violão de 7 cordas. Com uma linguagem revolucionária, representa uma nova escola desse instrumento. Possui um método destinado ao instrumento e uma discografia com 10 álbuns, três indicados ao Prêmio da Música Brasileira (2007/2013/2016), sendo premiado em 2016. Em 2015 e 2019 foi premiado no IMA (Independent Music Awards) e no Melhores Instrumentistas 2015/Embrulhador. Em 2017, 2018 e 2019 no Prêmio Profissionais da Música.  leia mais

Tinho Pereira (São Carlos) 

Artista nascido no Brasil, baixista, guitarrista, cantor, compositor, arranjador. Mestre em violão clássico pelo Conservatório Musical Villa Lobos da cidade de Araraquara-São Paulo Brasil e Mestre em baixo elétrico/MPB-Jazz/ pelo Conservatório de Música Dr. Carlos de Campos da Cidade de Tatuí -São Paulo-Brasil. 2011 lançou seu álbum chamado Hand Made (Spotify, ITunes, Amazon, QQ music e todas as plataformas digitais) 2013 recebeu do PBC (Profissionais Brasileiros na China) um prêmio como promotor da cultura brasileira na Ásia. Como educador ministrou aulas particulares e master classes no Brasil ,China e USA. Como músico profissional com mais de 30 anos de carreira leia mais

Toca de Tatu (MG) 

 

O Toca de Tatu se uniu há quase dez anos em Belo Horizonte, formado por Luísa Mitre no piano, Lucas Telles no violão, Lucas Ladeia no cavaquinho e Abel Borges na percussão. Com um som único, respeitoso à tradição e com um espírito inovador, o Toca possui interpretações que valorizam a coletividade, equilibrando suingue, versatilidade e delicadeza. No repertório, peças autorais e de compositores consagrados recebem o trato refinado dos arranjos do grupo, que transita por diversos ambientes da música instrumental brasileira, passeando pelo balanço e fraseado típicos do choro, a liberdade improvisatória do jazz e a abordagem camerística da música de concerto. Possui dois álbuns lançados: “Meu amigo Radamés” (2013), leia mais

Trio Julio (RJ)

O TRIO JÚLIO é formado pelos irmãos Magno Júlio, na percussão e pelos gêmeos Maycon Júlio, no bandolim, e Marlon Júlio, no violão 7 cordas.
Os jovens músicos são de Cordeiro, interior do Rio de Janeiro. Começaram a estudar música ainda crianças na Escola Portátil de Música, referência mundial no ensino da linguagem do Choro, onde hoje são professores. Descobriram no Choro e no Samba instrumental talentos e propósitos. Tocam Choro e Samba respeitando as tradições e demonstrando muito virtuosismo. O trio interpreta músicas autorais e de grandes compositors, além de criar, com muita competência, arranjos   leia mais

Turíbio Santos (RJ)

 

É considerado pela crítica e pelos especialistas como um dos maiores violonistas clássicos da atualidade. Sua carreira já o fez percorrer o mundo várias vezes, com críticas brilhantes nos principais centros musicais. Já gravou 65 LPs para Erato-WEA (Paris), Chant du Monde (Paris), Kuarup, Visom e Ritornelo (Rio de Janeiro), e editou coleções de partituras pela Max-Eschig (Paris) e Ricordi (São Paulo). TURIBIO SANTOS já dividiu o palco com grandes celebridades musicais, como Yehudi Menuhin, M. Rostropovitch, Victoria de Los Angeles, J. P. Rampal; e foi acompanhado por orquestras como a Royal Philharmonic Orchestra, English Chamber Orchestra, Orchestre National de France, Orchestre J. F. Paillard,  leia mais

Victor Angeleas (DF)

Bandolinista de 10 cordas, compositor e arranjador, iniciou seus estudos musicais aos sete anos de idade. Desde então se dedicou a diversos instrumentos como o piano, o violão, o violão tenor e o cavaquinho, mas elegeu, aos treze anos de idade, o bandolim como seu instrumento principal. Lançou 6 discos ao longo de sua carreira e tem mais alguns no forno para serem lançados em 2021. Reúne mais de 40 composições próprias gravadas nesses trabalhos. Formou-se em música pela Universidade de Brasília. leia mais

Wiener Choro Ensemble (Áustria)

O Wiener Choro Ensemble é a vitrine musical do Wiener Choro Klub, um projeto pioneiro na Áustria, cujo objetivo principal é divulgar e ensinar a primeira música urbana do Brasil: o Choro. O Wiener Choro Ensemble nasceu deste movimento musical sob a direção musical dos multi- instrumentista, compositor e educador Antônio de Pádua. Seu repertório explora a riqueza do Choro, do Jazz e da música clássica brasileira. Em 2021, o Wiener Choro Ensemble grava o seu primeiro CD intitulado Viena Brasileira (conceito emprestado ao músico Sivuca (1930-2006), que considerava seu estado natal da Paraíba leia mais